Noticias

03/05/2021 - Cultivo protegido e o aumento da produtividade

Em breve, a Escola de Floricultura do Ceará (TecFlores) estará iniciando mais uma edição do Curso Básico de Flores, que está viabilizando a permanência dos jovens na área rural na Serra da Ibiapaba. Até hoje, a capacitação gratuita já qualificou 320 jovens, que aprendem na prática as tecnologias e tendencias que estão revolucionando o cultivo de plantas e flores.

Uma dessas práticas é o cultivo protegido. O método é usado para proteger a colheita, especialmente de temperaturas muito baixas ou altas, tempestades de granizo e chuvas fortes. A tecnologia também é útil para garantir a proteção contra pássaros e insetos, conservar a umidade do solo e melhorar a nutrição mineral.

De acordo com o técnico Eulálio Barreto, especialista em olericultura de clima tropical e mestre em produção vegetal, que ministra a disciplina no curso de floricultura, a técnica consiste em desenvolver uma estrutura de proteção para as plantas e pode, inclusive, ser reproduzida em outras produções, como na piscicultura e na carcinicultura.

“Dentre os principais benefícios do cultivo protegido, estão o aumento da produtividade, aumento do valor agregado, a produção a longo período e o baixo consumo de agrotóxico. Mas também existem desvantagens que precisam ser analisados pelo produtor, como o investimento inicial elevado e a necessidade do conhecimento técnico e mão de obra especializada”, explica.

No Brasil, a maioria dos cultivos protegidos são realizados em estufas ou casas de vegetação que proporcionam ambientes necessários para o crescimento e produção das culturas. “Dependendo do tipo de estrutura e do nível tecnológico adotado, o custo do metro quadrado de cultivo protegido pode variar de R$ 20,00 a R$ 250,00”, conclui Eulálio.

Comentar