loader image

Acesso à informação

Agropolos e Adece: Palma forrageira garante solução para o semiárido

Em meio a seca e a falta de alimentação para o gado, o técnico e engenheiro agrônomo do Instituto Agropolos do Ceará, Eduardo Queiroz, por meio da Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará (ADECE), foi em busca de tecnologias que resolvessem um problema antigo enfrentado pelos produtores que precisam comprar forragem para alimentar bovinos e caprinos. Esta iniciativa corresponde ao Apoio às ações para o fortalecimento do setor Agrícola, Pesqueiro e Aquícola no estado do Ceará.

E a solução está na palma forrageira. Uma planta que tem boa aceitação pelos animais e que é composta em 90% por água. Além da palma, para garantir os nutrientes e a proteína necessários, o ideal é acrescentar capim e pornunça (o cruzamento da mandioca com a maniçoba). Com este composto, é possível alimentar os animais e, nos casos de vacas leiteiras, mesclar em 50% com a forragem para não perder produção de leite.

Erineide Stopassola, produtora rural em Tamboril, foi em busca de mais informações sobre esse manejo para conseguir alimentar o seu rebanho o ano inteiro. Foi aí que descobriu o canal no Youtube do Raimundo Reis, da empresa Raimundo Reis Consultoria, e através do trabalho dele o Agropolos passou a atender a Erineide.

Para se ter ideia de como a iniciativa é importante, em período de estiagem o agricultor precisar pagar pela forragem que alimenta os seus animais. A tonelada custa cerca de R$ 418,00 e uma vaca come, aproximadamente, 30 kg por dia. Além do alto custo, o deslocamento pode ser demorado. Todos esses fatores prejudicam o produtor e influenciam na qualidade da carne e do leite.

Em produção

Erineide Stopassola está seguindo todas as recomendações estabelecidas pelo técnico Raimundo Reis consultoria. Até agora, ela já realizou o plantio de 3,5 hectares de palma forrageira e está implantando 1,5 hectares associados a cultura com capim massai e a gliricídia. De acordo com Raimundo, em março do ano que vem, Erineide já deverá começar a alimentar o seu rebanho pelo sistema agrossilvipastoril, que integra árvores, campos de cultivo e animais.

Gostou? Compartilhe esse post!

Fique ligado nas nossas notícias!